Após muita discussão e o surgimento de diversos métodos para a identificação e o abatimento de drones, era de se esperar que surgissem meios de defesa, ou ao menos tentativas de dificultar tais ações. Uma pesquisa da University of California (Universidade da Califórnia que fica em San Diego) apresentou uma pesquisa onde o resultado é a criação de um meio de tornar os drones americanos invisíveis.

Drone invísivelDrone invísivel

Embora ao falar a palavra “invisíveis” as pessoas imaginem drones voando sob as nossas cabeças sem que percebamos, apenas desconfiemos por conta do barulho característico dos drones, a ideia da invisibilidade,neste caso, ainda é menos eficiente que a capa do Harry Potter. Pois consiste em apenas fazer o veículo aéreo não tripulado sumir dos radares por meio de um material dielétrico, que é capaz de modular as ondas emitida pelos equipamentos tradicionais equipamentos de detecção usado no controle aéreo, e assim torna-se impossível de detectar as aeronaves que está voando próximo ao local.

Ao jornal independente voltado aos soldados, familiares e veteranos de guerra Army Times o responsável pela pesquisa, Boubacar Kante, afirmou que este trabalho, dos drones invisíveis, é a evolução de um outro de 2006 pela _Duke University_ (Universidade de Duke localizada em Durham no estado da Califórnia do Norte, nos Estados Unidos da América).

Mesmo com todo este progresso na pesquisa, e os testes realizados com sucesso, ainda há muito o que se evoluir para garantir uma maior eficiência. A técnica de camuflagem, que torna os drones invisíveis, possui alguns fatores limitantes que devem ser superadas para que funcione em todas as situações. A princípio ela depende de vários fatores relacionado à onda emitida pelos detectores, como o tipo dela (é possível construir equipamentos que detectam movimento, calor, materiais específicos como o ferro), que não foi divulgado em quais ela está funcionando e em quais não; segundo o Boubacar Kante até mesmo o comprimento das ondas podem interferir um pouco, assim como frequência e o seu período.

Talvez ainda leve alguns anos para vermos drones, autônomos ou não, voando de forma que passem totalmente despercebido pelos radares. E certamente quando isso ocorrer, a princípio, será tecnologia de uso militar. É fácil imaginarmos os usos que seriam feitos se esta caíssem em mãos erradas, invasão de privacidade; atentado ao tráfego aéreo, por voar próximo aos aeroportos; colocar a vida de pessoas em risco ao voar em grandes aglomerados; etc. E levará ainda mais tempo para vermos um drone que desvie todas as ondas, e não reflita nenhuma cor ou luz, de forma que nem mesmo os nossos olhos possam reconhecer.

“Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades.” (Tio Ben)