A Malou Tech desenvolveu um drone capaz de interceptar outros, em pleno ar. Nos voos testes, e demonstrativos, demonstrou-se extremamente eficaz. Ele é capaz de resolver problemas com os drones suspeitos que têm vagando pelos céus, como o caso do VANT que caiu na Casa Branca, ou os que têm sobrevoando instalações militares; usinas nucleares e o palácio presidencial na França, onde o maior medo está na relação com os voos misteriosos e ativistas do Estado Islâmico.

Drone intercepta outros em pleno vooDrone intercepta outros em pleno voo

Preocupados com o avanço da tecnologia, e a popularização, dos veículos aéreos não identificados, funcionários pediram a cientistas e empresas que desenvolvessem uma maneira eficaz de monitorar e detectar drones suspeitos e os seus pilotos, analisar e acompanhar a rota de voo e, finalmente, neutralizar, por meio de uma interceptação, temporariamente ou permanentemente, os objetos voadores com o mínimo de danos colaterais possíveis.

Drones já tornaram-se um hobby do século 21, para muitos é até motivo de coleção dos diversos modelos disponíveis, há os usos comerciais como a Amazon estudando a possibilidade de entregar com eles, seu uso em resgate de imigrantes pela ONG MOAS. Mas esta presença crescente nos céus está sendo motivo de dores de cabeça para os chefes de segurança nacionais, e um drone com a habilidade de interceptar outros em pleno voo pode acabar funcionando melhor do que dipirona neste caso.

Há meses a frança vem relatando dezenas de voos de drones em locais sensíveis, como as instalações nucleares, uma situação preocupante para o país mais dependente da energia atômica do mundo. As autoridades relataram que eles não tiveram problemas, mas teme que os drones possam espionar a tecnologia francesa ou, um dia, poderia estar equipado com bombas ou outras armas. A segurança nestes locais foram aumentadas desde então, e estão investigando quem pode estar por trás dos voos. Uma das principais ideias é que ao interceptar estes drones voando em locais sensíveis, seja possível rastrear quem estava controlando e, assim, descobrir porque aquele voo em um local de acesso restrito.

Segundo a Agência Nacional de Pesquisa da frança, os possíveis riscos em voos de drones incluem o terrorismo, a invasão de privacidade, roubo de segredos industriais e comerciais, e “danos à credibilidade das autoridades públicas, de instituições e empresas”.

Há um vídeo no YouTube que mostra um drone voando sobre uma usina na França:

Um oficial de segurança francês, disse anonimamente por não estar autorizado a falar publicamente sobre o assunto, que a Alemanha, Grã-Bretanha, França e os EUA estavam enfrentado problemas com os voos misteriosos de drones. A China diz que os seus cientistas já desenvolveram uma arma laser que pode detectar e abater os veículos em um raio de 1,2 milhas.

Outro possível tecnologia que poderia ser aplicada no combate aos drones, é o uso de radares para localizar e, por meio de bloqueadores de sinais, interromper a comunicação do drone com o controle, interceptando-o e impedindo de voar sobre áreas sensíveis.